top of page


Nessa semana tivemos mais duas rodas de conversa com as famílias. Com familiares da Educação Infantil, falamos sobre a entrada das crianças na vida escolar e a importância de uma adaptação acompanhada pela família e pelas equipes da escola. A conversa foi muito rica, com trocas de experiência entre as mães presentes e com dicas importantes. Já no Fundamental I a conversa foi sobre saúde mental no processo de alfabetização.

"É na acolhida ou na rejeição, na aliança ou na hostilidade para com o rosto do outro, que se estabelecem as relações mais primárias do ser humano e se decidem as tendências de dominação ou cooperação. Cuidar do outro é zelar para que esta dialogação, esta ação de diálogo eu-tu, seja libertadora, sinergética e construtora de aliança perene de paz." (Leonardo Boff - Saber Cuidar)

Na reflexão de Leonardo Boff, o exemplo de como construímos pontes uns com outros. O contato com diferentes formas de existir, permite que ampliemos nossos olhares para o que é novo. O papel da escola é o de proporcionar esses encontros e os diálogos que favoreçam alianças pela paz entre todos.

O inicio do ano é marcado por esses encontros com a novidade, e as crianças muitas vezes se mostram inseguras, o que também ocorre com adultos em períodos de mudanças e de encontro com o desconhecido. Para fortalecer as crianças e ajudá-las a superar a angústia característica desse momento, precisamos estabelecer relações de confiança e parceria entre a escola e a família. Aos poucos a criança percebe que há um pacto de cuidado que a mantém no centro das atividades e das preocupações da família e também da escola.

Considerando a definição da OMS (Organização Mundial da Saúde) para saúde mental, que é "um estado de bem-estar físico, mental e social, no qual o indivíduo sente-se bem consigo e nas interações com outras pessoas." Práticas de acolhimento, a presença de pais e mães nas atividades dirigidas à eles e vínculos de confiança, contribuem para a garantia da saúde mental das crianças e adolescentes.

É preciso contar com isso e criar espaços reflexivos com as crianças e com os adolescentes para que expressem seus medos e, a partir disso, possamos ajudá-los a superar os conflitos emocionais tão comuns nessas fases da vida.





Iniciaremos a conversa em família nessa semana, quinta-feira, dia 21/03.

Nossos encontros mensais continuarão ocorrendo em ambiente virtual para facilitar a participação do maior número possível de famílias.

Nessa semana faremos nossa primeira conversa.

Das 19h às 20h abriremos a sala para mães, pais e professoras da Educação Infantil, a conversa terá como tema gerador, a adaptação das crianças e das famílias ao ambiente escolar.

Das 20h10min às 21h10min, abriremos para familiares e docentes do Fundamental I com o tema: Processo de alfabetização e saúde mental.

Nesses encontros é possível tirar dúvidas, trocar experiências e nos conhecermos melhor, fortalecendo a parceria família/escola, não deixe de participar!

Aguardo por vocês!




As férias de verão chegaram ao fim, e a partir de hoje recebemos nossos queridos e queridas estudantes para mais um ano letivo.

Sabemos o quanto as férias compõem momentos importantes de descanso para docentes e estudantes. Porém, elas interrompem as rotinas de estudos, e quando voltamos apresentamos dificuldades para recuperar os ritmos.

Para que esse retorno não inaugure um abismo entre a vida sem muitas regras, que as férias acabam oferecendo, e as inúmeras tarefas que acompanham os fazeres escolares, trazemos algumas sugestões para as famílias fortalecerem e implementarem com as crianças nesses primeiros dias de retorno às aulas.

1.       Imprimir novos horários para o sono, dormindo e acordando mais cedo.

2.       Checar se estão com os materiais escolares completos e em bom estado.

3.       Ajudar que as crianças descrevam como desejam estar na escola ao longo do ano

4.       Realizar conversas com as crianças cujo tema deve ser o cotidiano escolar e o aumento de responsabilidades a cada ano.

5.       Ajudar as crianças para que se sintam seguras na escola e saibam a quem recorrer sempre que estiverem em apuros.

6.       Auxiliar na compreensão dos ciclos da vida e na importância de se empenharem nas atividades escolares.


bottom of page